Ragu de linguiça e cebola com spaghetti

Facebooktwittergoogle_plusredditmail
Print Friendly, PDF & Email

Spaghetti

Tem coisas da cozinha tradicional que são fantásticas. Uma boa massa com um ragu de linguiça com cebola é uma delas. É um molho forte, encorpado, marcante e delicioso. Pode até ser maltratado como se fosse um reles “macarrão com linguiça”, mas é muito mais em termos de sabor e personalidade.

Nós usamos seis linguiças de pernil (no caso da linha Ouro, da Perdigão). Retiramos a pele e desmanchamos o recheio.  Refogamos bem para a carne ficar dourada e soltar a sua gordura e começamos a preparar o molho.

SpaghettiPrimeiro juntamos à linguiça uma cebola roxa cortada em fatias finas e deixamos refogar até a cebola ficar quase queimada. Neste ponto inserimos meio pimentão vermelho cortado miudinho, um dente de alho também picado e meia pimenta jalapeño sem semente picadinha. Deixamos refogar e juntamos um cálice de vinho branco seco que, além de dar personalidade, ajuda a reunir os sabores dos ingredientes. Depois foi para a panela um tomate picado (com pele e semente) e uma lata de tomate pelado previamente triturada. Usamos também um pouco de orégano seco.

queijo raladoAí é só corrigir o sal e deixar o molho apurar até ficar espesso e com toda a sua força. Já com o fogo desligado juntamos um punhado generoso de manjericão fresco.

Juntamos com um spaghetti de boa qualidade e jogamos por cima lascas de queijo grana padano, que é bem intenso. Que refeição!

 

2 Comments

  1. Caro Gastão:
    olha eu aqui de novo fazendo a receita de vocês! Quando a vi, lembrei-me que tinha linguiças
    e um resto de vinho branco na geladeira – daí foi um pulo! Só faltava a massa, e como faria um prato de steak au poivre com papardelle feito por mim, aproveitei e aumentei a quantidade de farinha para comer com este molho! Foi aprovadíssimo por quem comeu! Hoje postei em meu blog (cozinhasanta.blogspot.com).
    Assinado:
    Fã de vocês,
    Sandra Bylaardt.

  2. Arthur Ribas de Avila says:

    Gastão, ótima receita, simples e de sabor intenso, como eu gosto. Mas vou te dizer uma coisa: comprei recentemente um cilindro de massas La Cuisine (sim, do Shoptime) com vários acessórios e bem barato. Agora minha vida tem um divisor de águas, aliás, divisor de massas. Antes e depois. Fazer massa caseira, além de ser divertido com a família e convidados, é outra história em termos de sabor. Por ser fresca, o sabor dos molhos penetra muito mais na farinha. E a massa é tão gostosa que dá pra comer pura, só salteada na manteiga. Fica a dica. Um abração deste santa-mariense da boca do monte.
    Arthur

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*