Leveza e sabor com suflê de queijo

Facebooktwittergoogle_plusredditmail
Print Friendly, PDF & Email

Num raro momento de não fazer nada, assistia ao programa Diário do Olivier na TV. Como bom francês, ele sempre vai às suas raízes adaptando algumas receitas aos ingredientes bem brasileiros. Foi assim que ele ensinou um suflê de queijo, colocando no lugar do ementhal um queijo de minas curado.

Claro que fiquei com aquela cena na cabeça. Aquele suflê lindo, crescido e delicioso virou uma miragem. Quando no dia seguinte combinávamos o que fazer de janta a resposta estava na ponta da língua: suflê de queijo. Sugeri ao Gastão que passasse no mercado e pensasse num acompanhamento.

Fizemos, então, para o jantar suflê com salada de tomate e salsinha e bisteca de porco grelhada temperada com sal e pimenta. Uma mistura nada convencional, mas resolvemos arriscar.

Para o suflê a receita do Olivier não poderia ser mais simples:

40 g de manteiga
40 g de farinha de trigo
400 ml de leite
Noz moscada e pimenta do reino
4 ovos
150 g de queijo ralado (suíço, coalho ou meia cura) usei um queijo colonial
Sal a gosto

Numa panela, coloca-se a manteiga até derreter em fogo médio. Junta-se a farinha e mistura-se sem deixar dourar, pois o creme tem que ficar branco. Adicione o leite pouco a pouco mexendo sem parar até ficar cremoso. Tempere com noz moscada (cuidado, usar pouco) e pimenta do reino. Tire do fogo e reserve.

Enquanto isso, rale o queijo e separe as gemas das claras. Junte o queijo ao creme e misture. Quando o creme estiver morno junte as gemas.

Bata as claras em neve com uma pitada de sal até que fiquem bem firmes. Misture as claras ao creme, mexendo de baixo para cima sem bater, devagar, até ficar homogênea a massa. Acerte o sal.

Unte a tigela que irá assar o suflê com manteiga e farinha. Coloque o creme dois dedos abaixo da borda da tigela e leve ao forno pré-aquecido a 250°c por aproximadamente 10 minutos ou até estar dourado.

A cena do suflê crescendo é mágica. A torcida pra que ele não desabe é vivida na mesma intensidade.

A composição do jantar ficou ótima. Sabores que se complementaram com diferentes texturas. Valeu ter arriscado.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*