Nhoque com ragu de carne de porco

Facebooktwittergoogle_plusredditmail
Print Friendly, PDF & Email

nhoque

Nhoque é sempre algo espetacular. Pode até dar um pouco de trabalho para fazer, mas também não é nenhum drama. Combinado com o molho certo ele se torna versátil, pode ser uma simples manteiga de sálvia, levíssima, ou um robusto ragu de carne suína, como no nosso caso.

Para começar a massa do nhoque embrulhamos quatro batatas médias em papel alumínio e levamos ao forno por cerca de uma hora, ou até ficarem bem macias. Pode-se cozinhar as batatas em água, mas assadas elas ficam mais “sequinhas”, sem água, e a massa tende a ficar mais firme e densa.

As batatas já macias devem ser descascadas e espremidas ou amassadas até virar purê. Aí vai uma boa colher de manteiga, duas gemas e uma boa quantidade de parmesão ralado (a gosto, mas sem exagero). Depois é ir acrescentando farinha de trigo até ter um ponto que a massa não grude na mão. A quantidade de farinha varia muito com a quantidade de umidade da batata, com o tamanho das gemas… O importante é achar o ponto sem que a massa fique muito pesada, com excesso de farinha.

nhoque

Depois é só fazer “rolinhos” e cortar os nhoques. Para cozinha-los basta mergulhar em água fervente com sal. Quando o nhoque subir para a superfície da água está pronto. Mas cuide para não colocar todos os nhoques de uma vez na água, coloque aos poucos.

Ragú de carne suína

Um pedaço de uns 400 g de carne suína (usamos lombo, no caso) cortamos em cubinhos pequenos, sem desprezar as gordurinhas. Depois levamos para uma panela de fundo grosso bem quente para refogar na própria gordura. Quando a carne ficou bem douradinha entramos com uma cebola média picada e logo com uma porção generosa de pimentões picados (vermelho, verde e amarelo), uns três dentes de alho grandes e, depois, três tomates médios picados com pele e semente.

nhoque

Enquanto isto refogava adicionamos um cálice de vinho branco seco e temperamos com sal, pimentas do reino (branca, preta e rosa, amassadas num pilão), páprica doce, alecrim seco e manjerona. Aí em fogo baixo, vamos administrando um cozimento de pelo menos uma hora, às vezes adicionando um pouco de água para não grudar no fundo. Quando deligar o fogo acrescente um punhado de ervas frescas picadas: salsinha, cebolinha e manjericão.

 A carne deve ficar muito macia, quase desmanchando, e o molho encorpado, forte. Seu sabor marcante vai contrastar com os nhoques macios e delicados, promovendo uma festa do paladar.  Arremate com um bom queijo parmesão ralado sobre tudo.

 

One Comment

  1. Gastão, nunca tinha visto fazer nhoque com batata assada, deve ficar diferentão mesmo, alquimista dos sabores. O blog tá muito fofo, parabéns!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*