Cardápios afrodisíacos (o que é isto mesmo?) para o Dia dos Namorados

Dia dos namorados, como tantas outras datas criadas e voltadas totalmente ao consumo, não me parece uma data para tantos alardes. Quando datas como estas ganham mídia, sobressaem os clichês de representar o amor. Confesso que  acho até meio cansativo… Mas apesar de não curtir essa ideia do “dia certo” para presentear e para demonstrar afeto, não quer dizer que me tornei uma insensível, certo? Cada um faz como gosta, não é mesmo?

Como gostamos de cozinhar, neste dia não temos dúvida: ficamos em casa.

Pensando nisso, voltei a um livro que adoro: Afrodite, da Isabel Allende. Um livro sobre o afrodisíaco, sobre o seu poder e seus segredos, mas sobretudo sobre a desmistificação do  conceito, a antiguidade dele, mas também como foi valorizado, sobretudo, nas sociedades patriarcais. Claro que o livro, como não poderia deixar de ser, traz um monte de receitas com os tais ingredientes. Mas o melhor dele é ser uma leitura muita divertida, recortada por histórias engraçadas que envolvem a autora.

Até pensei, para este post fazer uma lista dos ingredientes afrodisíacos que ela fala, mas desisti. Afinal compartilho da ideia da autora que o mais afrodisíaco dos ingredientes é o amor. Mais importante do que o que se põe na panela é o como fazemos este momento. Adoro a possibilidade imaginativa e divertida do tom que as coisas ganham. Como brinca Isabel Allende, colocar um nome francês, por exemplo, numa comida não deixa a coisa mais charmosa e apetitosa? Quiçá afrodisíaca…

Ao invés de ir para restaurantes abarrotados, prefiro fazer no dia dos namorados uma comidinha gostosa para ser saboreada com calma. Acho que isso não precisa ser só neste dia, mas vamos lá… Fazer isso nos dias de hoje, certamente pode ser bem afrodisíaco, já que mal temos tempo de olhar nos olhos uns dos outros. Talvez o mais romântico não seja fazer piruetas, nem propor mega eventos.  Como escreve Allende vivemos num tempo onde agimos “como comedores compulsivos, que engolem sem degustar, ou bebem em excesso sem descobrir o mistério da uva; ou como os que acumulam com voracidade insaciável sem jamais experimentar a abundância.” (…) Ir na contramão disso me faz bem.

Então queridas/os leitores a proposta deste post não é propor receitas mágicas ou infalíveis, mas combinações que possam ser feitas numa cozinha a dois. Que o processo de degustação aconteça durante todo o tempo. Se vai ser melhor com uma taça de espumante, um vinho especial pra aquecer os corações, com flores ou velas… aí é por conta da imaginação de cada um. Pense sobre o que lhe agrada mais e o que lhe faz mais feliz, essa seria a única dica que poderia dar.

Sugestões de combinações para uma jantar a dois:

* Essa receita é fantástica: Nhoque de mandioquinha com ragu de carne – Aqui.

Sobremesa – Banana com creme de chocolate e avelã  - Aqui

*Quer uma comida gostosa e sofisticada: risoto Aqui

Sobremesa – uma versão muito fácil da clássica mousse de chocolate - Aqui

* Um cardápio mais encorpado poderia ser um filet com batatas recheadas com gorgonzola. Aqui

Sobremesa – O que pode ser mais gostoso que um tradicional brigadeiro de colher? Dá pra iniciar a noite fazendo ele e, enquanto esfria, fazer a comida. Aqui

Estas são apenas algumas possibilidades entre as outras tantas combinações possíveis a  partir de  comidas que já apareceram por aqui. Bom dia dos namorados e divirta-se!

 

2 Comments

  1. Queridos do cozinha a dois!!!!

    Ontem no jantar dos namorados preparei um filet com molho de amêndoas e batatas com gorgonzola que ficou DEMAIS!!!!! Obrigada por compartilharem essas maravilhas!!! Com certeza conquistei mais ainda meu maridinho rsrsrsrssr!
    Abraços

    Carine

    • Gastão Cassel says:

      Carine, nossa ideia é esta mesmo: compartilhar as coisas boas da vida. Ficamos muito felizes que vocês tenham gostado.

      Abçs

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>