Macarrão oriental, nossa versão do velho e bom yakisoba

oriental

Tem coisas que a gente faz tão automaticamente que por vezes nem percebe na hora, só depois se dá conta. Viajar e trazer temperos é uma delas. Fui duas vezes a São Paulo, no fim do ano passado, em outubro e novembro. Claro que não foi surpresa, a quantidade de coisas que foram acrescentadas à bagagem. Nada de roupas ou sapatos. Apenas livros (livrarias, museus e galerias de arte são lugares que adoro visitar. Nestas idas específicas também  me esbaldei visitando a Trigésima Bienal!), temperos e coisinhas que incrementam a  cozinha. Coisas que dificilmente achamos aqui em Floripa, ou quando achamos custam muito mais caro. Adoro visitar lojinhas, o mercadão e, da última vez passei quase um dia inteiro no bairro da Liberdade. 

Parecia criança em loja de brinquedo. Coisa boa todos aqueles cheiros, cores e aperto. Sim, até as lojas apertadas e lotadas pareciam ótimos lugares. Claro que a despensa foi melhorada. Vieram molhos, como o de ostra, chás, curry e até um talharim caseiro (udon). A maioria das coisas já está no uso: uma pitadinha aqui, outra ali dão um gostinho a mais a um prato trivial. 

No último fim de semana, aproveitando que tínhamos vários vegetais em casa e fizemos a nossa versão de Yakisoba. Ficou fantástico. Absolutamente rico em sabores, texturas, cores e cheiros. Assim como deve ser uma boa comida.

Mas o Yakisoba é daqueles pratos em torno dos quais há inúmeras discussões sobre qual é o legítimo. São muito chatas estas discussões. Então que fique claro que trata-se de um prato que fizemos com o que tinha disponível, perseguindo o sabor oriental que é tão interessante.

Usamos três tipos de carne: um pedaço de lombo de porco, um bife grosso de alcatra bovina e um peito de frango. Poderiam (deveriam?) entrar também camarões, mas não tínhamos nos despensa. Todas as carnes foram cortadas em cubinhos.

Os vegetais que usamos foram:

– Pimentões verde, vermelho e amarelo (digamos que 1/3 de cada um deles, que eram grandes) cortados em quadrados

– Uma cebola grande cortada em pétalas

– Uma cenoura média cortada em cubos

– Quatro folhas de acelga

– Cebolinha verde picada

– Seis cogumelos portobelo cortados e fatias grossas

– um pedaço de gengibre cortado bem miudinho (o tamanho vai depender do gosto, quem prefere mais picante pode usar um pedaço maior)

– um pedaço de 3 dedos de abobrinha

Poderíamos ter incluído brócolis, couve-flor, brotos de feijão e outras coisas. Mas tem um problema: estávamos cozinhando para dois, e um pouquinho de cada ingrediente vai fazendo uma quantidade enorme de comida. Então optamos por “sacrificar” alguns ingredientes.

Com tudo cortadinho aquecemos bem uma panela wok e espalhamos óleo de gergelim torrado nela. Ali refogamos, um de cada vez, as carnes de porco, bovino e frango. Reservando as carnes em uma travessa. Depois fomos refogar (sempre rapidamente) os legumes: primeiro a cebola e os pimentões, depois a cenoura e a abobrinha e o gengibre, por fim os cogumelos. A cebolinha e a acelga ficaram para a finalização.

Aos legumes refogados juntamos as carnes que esperavam bem douradas e começamos a finalizar. Primeiro duas colheres de molho de ostra, depois um tanto (tem que ser a olho mesmo) de molho de soja shoyu e um pouquinho (meia colher de sopa) de maizena diluída em água para dar uma leve engrossada. Enquanto apurava juntamos a acelga e a cebolinha, temperamos com um pouco de pimenta verde moída (cuidado que o shoyu é salgado) e… pronto.

Juntamos ao talharim Udon que foi cozido enquanto tudo isso acontecia e depois foi só se deliciar. Para finalizar vale mais um fio de óleo de gergelim.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 pensamentos em “Macarrão oriental, nossa versão do velho e bom yakisoba”