Costelinhas ao barbecue

Facebooktwittergoogle_plusredditmail
Print Friendly

Costelinha

Era pra ser uma ida ao açougue só pra comprar algo para o almoço de um sábado trivial. Mas é preciso admitir a vantagem de ser amigo do açougueiro. Foi só entrar no recinto para o meu amigo Evandro logo me mostrar uma peça maravilhosa de costelinha suína de boa índole e generosamente carnuda.  Uma evidente promessa de delícia.

Costelinha de porco não tem erro. Sempre é uma delícia, e com a vantagem de que tem milhares de formas de serem preparadas, mas sempre resultam saborosas.

Optamos por um preparo simples. Num pilão socamos pimentas verde, preta, rosa, branca e calabresa, junto com sementes de coentro e cominho. Juntamos orégano, manjerona e alecrim secos, mais um tanto de sal e massageamos a carne. Botamos numa marinada com suco de limão e vinho branco e, por fim, uma camada de molho barbecue industrial (usamos Heinz).

Costelinha

A carne descansou na geladeira de um dia para o outro. Daí aquecemos bem o forno, temperatura máxima, e colocamos a costelinha para assar. Depois de 15 minutos baixamos o fogo e deixamos por mais 40 minutos. Para fazer companhia à carne colocamos na forma também duas maçãs verdes cortadas em pedaços e banhadas ligeiramente na marinada.

A cada 15 minutos demos uma umedecida na carne (e nas maçãs) com o resto da marinada. Nos cinco minutos finais pincelamos mais barbecue para caramelizar bem a carne.

Para acompanhar fizemos um purê de batatas bem básico, só acrescido de uns grãos da mostarda branca e preta  para dar um charme especial.

A mistura do sabor picante e suculento da carne com a acidez das maçãs e a leveza do purê formaram um conjunto absurdo de sabor, capaz de tirar suspiros de qualquer comensal.

E era só uma costelinha… simples assim.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*