Cachorro-quente, não importa a raça… (II)

Facebooktwittergoogle_plusredditmail
Print Friendly

cahorro-quente

Cachorro-quente é um patrimônio universal. Deve ter milhões de versões que variam conforme os hábitos e culturas. Procurar o “cachorro-quente legítimo” é correr atrás do próprio rabo. Por isso não desdenho nenhuma receita e, ao contrário, me esbaldo com a diversidade. Não é que uma pasta de abacate pode cair bem num sanduíche destes? Pois é, no Chile isso é muito comum!

Aqui em casa fazemos cachorro-quente de todo tipo, mas este que apresentamos aqui é o que mais fazemos, pela simplicidade e sabor. Sempre tem uma variadinha de acordo com ingredientes disponíveis, mas a base é um bom molho.

O molho

cahorro-quenteNosso molho preferido começa com linguicinhas calabresa “fininha”, cortadas ao meio, refogando numa panela com um fio de azeite. Além de dar uma tostada, a linguiça vai soltar um pouco da sua gordura e espalhar o seu sabor. Logo entramos com uma cebola cortada em tiras. Pimentões também em tiras (verde, vermelho e amarelo) são bem-vindos.

Quando os vegetais refogarem e pegarem o sabor da linguiça vai para a panela uma lata de tomates pelados triturados e, se for necessário, um pouco de água. Para temperar: uma folha de louro, e um pouco de alecrim, que dá uma certa alegria ao molho. Usamos, mas é opcional, algumas ervilhas congeladas. Sal e pimenta a gosto (usamos pimenta verde seca moída num pilão) e é só deixar o molho apurar.

Montagem

cahorro-quenteUsamos o pão de cachorro-quente tradicional, mas vai bem o próprio pão francês ou uma baguete. O pão cortado na longitudinal recebe apenas uma base delicada de maionese nas duas faces internas,  depois as linguiças, o molho caprichando nas cebolas e pimentões, um fio de katchup, um fio de mostarda e queijo ralado para cobrir tudo. No caso usamos um queijo pecorino uruguaio, com 30% de leite de ovelha, com sabor bem forte.

Os pães montados foram para o forno, apenas com o gratinador ligado. Sete minutos foram o suficiente para deixar o pão crocante por fora e macio por dentro. Fica bom demais.

 

2 Comments

  1. Nossa, parece delicioso!! Bom demais!!
    Vou casar e estou procurando algumas receitas, ja preocupada em não passar fome…haha… achei seu blog por acaso pelo google, e estou adorando cada receita encontrada aqui!! Você ou vcs estão de parabéns, muito bom gosto e criatividade incrível na combinação dos ingredientes!!
    Estou amando!! Obrigada por compartilhar, não sabe o quanto está ajudando a muitas pessoas!!
    Bjos

    • Gastão Cassel says:

      Legal que você gostou. Nossa ideia é justamente compartilhar, ajudar de fazer de cada pequena refeição uma celebração à alegria de viver. Abçs e volte sempre.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*