Cachorro-quente, não importa a raça…

Facebooktwittergoogle_plusredditmail
Print Friendly, PDF & Email

Cachorro-quente também se presta a inovações, desculpem-me os tradicionalistas. A partir do consagrado dueto pão e salsicha/linguiça dá para fazer muitas coisas. Nosso lanche foi feito com baguetes de gergelim e linguicinhas calabresa, daquelas fininhas.

O pão cortado na longitudinal foi untado com uma pasta composta de cream chesse, azeite de oliva e cebolinha picada. Numa frigideira com um fio de azeite passamos as linguicinhas com meia cebola em fatias fininhas e ¼ de pimentão vermelho, temperados apenas com sal e pimenta do reino moída.

Claro que a linguiça e o refogado foram para dentro do pão. Por cima de tudo uma porção de queijo gruyere ralado grosso.

Com cinco minutos gratinando o pão ficou macio por dentro e crocante por fora, com o queijo derretido envolvendo a linguiça e ligando os sabores.

Não sei a raça, mas é cachorro-quente dos bons.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*