Dá para fazer pizza em casa?

Facebooktwittergoogle_plusredditmail
Print Friendly, PDF & Email

Podia ser por telefone, mas o bom é tentar fazer! Há tempo discutimos a possibilidade de fazer uma pizza de boa qualidade em casa, num apartamento, no caso, sem nada comparável a um forno a lenha.

É sabido que a grande questão do forno a lenha é que ele obtém uma temperatura muito superior aos fornos a gás ou elétricos. Há alguns fornos elétricos que funcionam com alta pressão e assim conseguem elevar a temperatura, mas é claro que não tenho um destes.

Há tempo ouvimos falar que uma pedra dentro do forno ajuda a elevar a temperatura e homogeneizá-la. Soninha já testou com um bloco de cerâmica e obteve bom resultado fazendo pães. Então resolvemos mandar cortar uma pedra de granito do tamanho exato do nosso forno para avançar na aventura da pizza.

A massa

Botamos a pedra no forno, ligamos no máximo e fomos preparar o resto das coisas.

Para a massa os ingredientes básicos são: fermento biológico, farinha de trigo, azeite e sal.

Numa tigela junte um tablete de fermento, ou pacotinho, em meia xícara de água morna e mexa para dissolver.

Coloque a farinha peneirada numa superfície lisa. Faça uma cavidade no meio, coloque um pouco de sal.

Acrescente o fermento e comece a misturar com um garfo. Aos poucos incorpore mais meia xícara de água morna e um fio de azeite.  Depois trabalhe a massa com as mãos até que fique bem consistente e elástica.

Com a massa pronta, cubra com um pano e deixe descansar por três horas. Depois, polvilhe farinha numa superfície e abra a massa no formato que desejar.

A nossa receita foi adaptada à metade dessas medidas, pois não queríamos que sobrasse massa.

O molho de tomate

Nenhuma pizza é boa sem um bom molho de tomate na sua base:

– uma cebola picadinha

– um dente de alho picadinho

– uma lata de tomate pelado

– Dois galhos de majericão fresco

– Sal e pimenta

– Meio cálice de vinho branco seco

Na panela com azeite devidamente aquecido vai a cebola que refoga até murchar antes de receber a companhia do alho. Em seguida vem o tomate que “quebramos” em pedaços na própria panela. Correção de sal e pimenta do reino a gosto. Vinho branco e deixa levantar fervura por poucos minutos. Com um mixer (ou liquidificador, na sua ausência) tritura-se tudo. Por fim os galhos de manjericão inteiros. E deixa-se o molho apurar por uns 20 minutos, mexendo vez que outra.

A montagem

Optamos por fazer uma única pizza grande no tradicional sabor Margherita.

Abrimos a massa e, na falta de uma espátula grande para manipulá-la inteira colocamos ela na pedra quente num formato quadrado. Enquanto um segurava a pedra, outro espalhava o molho sobre a massa, queijo mussarela ralado grosso e, por fim, fatias de tomate sobre tudo.

Uma certa ansiedade fazia a gente dar uma espiada vez que outra no forno. Em cerca de 15 minutos sentimos a borda crocante, demos uma olhada no fundo da pizza e vimos que estava ok. Foi fácil removê-la da pedra: apenas puxamos com uma pinça grande e ela escorregou íntegra para a tábua em que foi a mesa. Mas antes de comer espalhamos folhas de manjericão fresco que só com o calor da pizza solta um perfume espetacular.

Resultado

Não ficou ruim, mas precisa melhorar:

A massa poderia ter um pouco mais de farinha, ser mais consistente para facilitar a manipulação e permitir que fosse aberta mais fina.

Ficou um pouco massuda, por conta da altura da massa, mas o recheio e a massa cozeram no mesmo tempo, o que é boa notícia.

O molho ficou excelente e fez o seu trabalho ressaltado pelo manjericão fresco.

Vamos tentar outras vezes até chegar a algo melhor ainda.

 

7 Comments

  1. Adriane Canan says:

    eu comia! 🙂

  2. Prezado, estou pensando em fazer o mesmo que você, ou seja, comprar uma pedra pra colocar no forno. Aproveitando a sua experiência, me tire algumas dúvidas: 1) Qual a espessura da pedra? 2) Que tipo de granito você utilizou (branco, preto, etc..) 3) Alguma providência em especial pra evitar que a pedra trinque?. Parabéns pelo seu blog!

    • Olá, Freddo.
      Mandei fazer a pedra numa marmoraria, na medida exata do forno. Pedi um granito de 2cm de espessura, daqueles que são acinzentados, meio mesclados, sabe? Uma linha mais barata. Pedi que a pedra fosse polida em toda a volta, arredondando a borda. Por fim, um dos cuidados que tomamos é não derrubar água fria, por exemplo, na pedra quente. Acho que os contrastes de temperatura são arriscados. Espero ter ajudado. Agradecemos sua visita e volte sempre. Abs.

  3. Cozinha é tipo um laboratório mesmo, né? Eu adoro me aventurar, mas erro bastante! É como a ciência: tentativa e erro, até chegar à perfeição! Bjs gastronômicos!

  4. Adorei a proposta do Blog! Parabéns!
    Tenho uma dúvida: quanto à pedra, li no comentário anterior que você mandou fazer em uma marmoraria. Gostaria de saber qual foi, mais ou menos, o preço, pois estou pensando em fazer a mesma coisa! hehehe

    • Sônia Vill says:

      Olá. Confesso que não lembro o nome da marmoraria nem quanto custou. Mas qualquer marmoraria faz. Sobre o preço não é nada absurdo, acho que foi menos de R$100,00. Tudo depende da pedra que vc escolher. Escolhi um granito da linha mais econômica. faça mesmo, vc não vai se arrepender. Abs

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*