Nhoque salva!

Facebooktwittergoogle_plusredditmail
Print Friendly, PDF & Email

Nhoque caseiro com molho de carne, vinho e alcaparras

A ação precisava ser rápida. A fome estava quase no ponto de patrocinar desatinos, como abrir um pacote de salgadinhos. Sexta-feira de noite e optamos por uma passagem rápida no supermercado. Arrematamos uma bandejinha com bifinhos de alcatra e voamos para casa.

Metade dos bifes virou tirinhas finas que foram envolvidas em farinha de trigo antes de irem para a frigideira funda com um pouco de azeite de oliva. Quando coraram ganharam a companhia de meia cebola picadinha e alguns flocos de alho desidratado. Sal, pimentas (preta, branca e vermelha socadinhas num pilão) e pitadas de manjerona seca entraram para conduzir o sabor.

Quando o refogado ganhou jeito, um copo de vinho tinto seco soltou o que já grudava no fundo da frigideira. Meia lata de tomates pelati triturados completou o molho que ficou curtindo no fogo baixo.

No fogo ao lado uma panela com água e sal já borbulhava. E ali mergulharam os nhoques que vieram sem escalas do freezer. Eles foram preparados em casa e pré-cozidos, mas isto é assunto para outra ocasião. Em dois minutos eles foram para a travessa.

Mas faltava algo no molho! Pontuamos o caldo escuro e encorpado com uma colher de alcaparras em conserva, para cortar a sobriedade do molho no sabor e na cor.

Depois do molho envolver os nhoques uma pequena chuva de parmesão ralado decretou o fim do preparo.  Após 30 longos minutos chegou a hora de exterminar a fome. Não sobrou nada, é claro.

 

2 Comments

  1. Mylene Margarida says:

    Isso é tortuuuuuuura!!!!! hehehe

  2. O Nhoque salvou lá em casa também no domingo rsrs, ficou ótimo! To adorando acompanhar o blog. bjss

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*